Um lugar de encontros da história

       A área das cabeceiras da Ponte Hercílio Luz, pelas suas peculiaridades paisagísticas e histórico-arquitetônicas, configura-se como cenário propício à valorização cultural.
      A própria Ponte, tombada a nível federal, estadual e municipal, articula-se historicamente a outros significativos referenciais também tombados, constituindo-se em memória visível da evolução urbana da nossa cidade. Citam-se como exemplos: Forte Santana, sítio arqueológico do Forte São João, conjunto Rita Maria, o antigo forno incinerador de lixo, dentre outros, que, localizados em áreas estrategicamente posicionadas no tecido urbano, constituem potenciais roteiros de visitação e permanência de pessoas.
      Neste contexto, intervenções urbanísticas que qualifiquem a presença destes testemunhos patrimoniais valorizarão a paisagem construída e natural da área e agregarão vitalidade funcional nas áreas públicas localizadas nas cabeceiras e adjacências, oportunizando a dinamização cultural e turística.

rEDE DE PATRImônio histórico

A Ponte Hercílio Luz irradia um conjunto invejável do patrimônio histórico de Florianópolis.

PONTE HERCÍLIO LUZ

A Ponte Hercílio Luz foi construída entre novembro de 1922 e maio de 1926 pela empresa estadunidense Byington & Sundstrom. Sendo maior ponte pênsil do Brasil, também foi a primeira ligação entre a ilha e o continente, substituindo o serviço anterior de balsas.Seu nome originalmente era Ponte da Independência, mas com a morte de seu idealizador, Hercílio Luz, a ponte recebe seu nome, como homenagem ao Governador de Santa Catarina. Na época havia um movimento pregando a transferência da capital para Lages,  devido à grande distância entre a ilha e demais cidades do estado. Mas no dia 13 de maio de 1926 a ponte é inaugurada, consolidando a cidade como capital de Santa Catarina e extinguindo tal movimento.Com o passar dos anos, a nova ponte e a popularização dos automóveis, a ponte era extremamente exigida. Ganhando um novo piso asfáltico, que substituía o antigo de madeira, a Ponte Hercílio Luz absorvia quase 44% do tráfego viário ilha-continente. Sua estrutura não previa tal sobrecarga, o que levou à sua interdição total em 1982. Assim, a Ponte Colombo Salles, aberta em 1975, passa a ser a única conexão entre a parte insular e continental. Após 6 anos fechada, a ponte é reaberta somente ao tráfego de pedestres, bicicletas, motos e veículos de tração animal. Entretanto, ainda existia muita desconfiança a respeito de sua segurança estrutural, levando técnicos e engenheiros a estudá-la cautelosamente.Assim, após um relatório que apontava graves problemas na manutenção estrutural da ponte, em 1991 ela é novamente interditada a qualquer tipo de tráfego. O piso asfáltico do vão central é retirado, aliviando 400 toneladas de peso. A interdição segue até hoje. Ainda nos anos 90, o prefeito Antônio Bulcão Vianna decreta o tombamento da ponte como Patrimônio Histórico, Artístico e Arquitetônico do Município de Florianópolis. Cinco anos depois do tombamento municipal, em 1997 são homologados os tombamentos estadual e nacional da Ponte Hercílio Luz. Quinze anos após sua interdição total, a primeira etapa de reconstrução da ponte tem início. A segunda etapa é iniciada em 2009, e assim seguiu até serem interrompidas as obras em 2015 pelo o não-cumprimento dos compromissos e dos prazos pela construtora então encarregada.

Ponte Hercílio Luz em 1945
[desenvolturasedesacatos.blogspot.com.br]

Ponte Hercílio Luz no início dos anos 70
[desenvolturasedesacatos.blogspot.com.br]

rede insular

1. FORTE SANTANA

Situado na cabeceira insular da Ponte Hercílio Luz, o Forte Santana foi projetado pelo arquiteto português José Sá de Faria e foi construído entre 1761 e 1763. Sua posição estratégica na ponta da ilha mais próxima do continente garantia melhor controle da entrada e saída das embarcações estrangeiras e posteriormente essencial para defender a ilha da ameaça de invasão espanhola de 1777.
O forte teve diversos usos ao longo do século 19, e em 1973 o Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) o restaura e instala o Museu de Armas Major Lara Ribas, onde encontra-se um precioso acervo armamentício.

Fachada Norte do Forte Santana
[commons.wikimedia.org]

2. estaleiro arataca

O Estaleiro Arataca foi construído por Carl Hoepcke na praia de Arataca em 1907, próximo ao Forte Santana na cabeceira insular da Ponte Hercílio Luz. Ocupava 15 mil metros quadrados que abrigava diversas edificações e uma carreira para o deslocamento de navios ao mar. Cerca de 150 trabalhadores especializados em consertos e na fabricação de navios e estaleiros trabalhavam ali em 1952, o que acabou em 1964 com a extinção do porto e aterro da Baía Sul. Ali eram produzidos veleiros para regatas oceânicas e reformas na frota náutica de Carl Hoepcke. Com o seu abandono, o histórico estaleiro foi demolido em 2014, sendo preservada apenas a projeção do telhado e parte das ruínas do casarão original. Primeira etapa do projeto de revitalização da área tombada que segue em andamento.

Estaleiro ainda ativo na Praia de Arataca
[tangatamanu.wordpress.com]

3. antigo incinerador de lixo

Construído entre 1910 e 1914, o "Forno de Lixo", como era popularmente chamado, teve tanta influência sobre a Praia de Arataca que a praia ficou conhecida como Praia do Forno de Lixo. Se caracterizava por um galpão central e uma longa chaminé de tijolos aparentes mais afastada do prédio, e à sua volta haviam apenas algumas casas na beira da praia e o Estaleiro Arataca.
A arrecadação de lixo da prefeitura era feita por carroças puxadas por burros, que percorriam as ruas da cidade. Ao receber o lixo, trabalhadores do Forno o incineravam em duas câmaras de combustão dentro do galpão central, liberando a fumaça pela chaminé externa.
Com o aumento populacional e o aterro sanitário do Itacorubi, transportou-se para lá todo o lixo recolhido. O aterro sobre o manguezal do bairro era uma grave questão ecológica, trazendo revolta da sociedade perante a administração pública da época. Portanto, em 2000, inaugurou-se o Centro de Transferência de Resíduos sólidos, no próprio Itacorubi, que atualmente gerencia a coleta de lixo, selecionando seu destino: aterro sanitário ou indústria de reciclagem.

Chaminé do Forno de Lixo
[ndonline.com.br]

4. conjunto de casas antigas

Este conjunto se localizava próximo a incinerador de lixo à beira da Praia de Arataca, na antiga costa antes do Aterro da Baía Sul. Atualmente algumas destas casas foram transformadas em restaurantes ou lojas.

Casa histórica transformada em restaurante
[www.tripadvisor.com.br]

6. fábrica de pontas

Inaugurada em 1896 pela Companhia Hoepcke, foi uma das primeiras indústrias de Florianópolis. Incrementou por muitos anos a produção industrial da cidade e movimentou atividades portuárias. Todas as tecnologias encontradas no interior da fábrica até 1940 eram importadas e o maquinário movido à vapor. Há registros de um espaço de trabalho diversificado na fábrica, composto por mulheres, e homens, imigrantes e nacionais, negros e brancos.
Com o passar dos anos, o maquinário foi adaptado à energia elétrica e foram implantados motores mais modernos. Estima-se que tenha sido a mais importante fábrica de pregos do país, sendo premiada em diversas exposições de âmbito nacional e internacional. No início da Segunda Guerra Mundial, a fábrica entre em declínio devido à baixa nas importações e sua inclusão na "lista negra".

Fábrica em funcionamento no século XIX
[angelinawittmann.blogspot.com.br]

7. fábrica de rendas e bordados

A Fábrica de Rendas e Bordados Hoepcke foi construída em 1913 por Carl Hoepcke e Ricardo Ebel. Inicialmente caracterizada por apenas cinco máquinas e 15 colaboradores, em 1928 já havia quadruplicado de tamanho,tornando-se uma das mais tradicionais empresas catarinenses e exportando internacionalmente.
Com o seu crescimento acelerado, em 1979 a fábrica se muda ao bairro do Roçado, buscando expandir sua produção. Assim, a fábrica foi abandonada e anos depois tombada. Atualmente estão sendo discutidos e executados projetos de revitalização para a fábrica.

Foto tirada em 1960 da Fábrica de Rendas
[ndonline.com.br]

8. antigo departamento de saúde pública

Construído durante o governo de Nereu Ramos, o edifício do antigo Departamento de Saúde Pública funcionou por mais de 50 anos oferecendo serviços básicos de saúde para a população, atendendo dezenas de milhares de pessoas gratuitamente. Anteriormente chamado de DASP (Departamento Autônomo de Saúde Pública), o antigo prédio hoje é ocupado pelo setor farmacêutico da Secretaria de Estado da Saúde. Encontra-se atualmente em estado de degradação.




[esp.saude.sc.gov.br]

9. conjunto histórico da igreja de santo antônio

A Igreja Santo Antônio foi construída em 1921 pelos Padres Franciscanos que vieram à Florianópolis em 1908. Junto à ela encontrava-se a Escola São José, franciscana, que lecionava mais de 1100 alunos da região e mais tarde viria a ser chamada de Grupo Escolar São José. Atualmente a antiga escola abria a Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL).




[franciscanos.org.br]

10. conjunto de casarios históricos das ruas conselheiro mafra e francisco tolentino

Os casarios históricos foram construídos na mesma época em que se formava o centro da cidade de Florianópolis, durante o século XVIII. Refletem diversos movimentos arquitetônicos, de Art Déco ao Ecletismo, e ostentam gradis de ferro forjado, sacadas trabalhadas e adornos de louça. Atualmente se transformou em um ponto central de comércio de Florianópolis. Atualmente existe um grande movimento de ambos poderes, público e privado, para a revitalização da área, numa tentativa de transformá-la em um “shopping a céu aberto”, parecido à Rua Vidal Ramos.




[mapio.net]

11. mercado público

Construído para substituir o antigo Mercado, localizado na atual Praça Cel. Fernando Machado, o Mercado Público foi construído em partes. Inicialmente, de 1896 a 1899, foi construída uma ala à direita de quem olha a Ponte Hercílio Luz, à beira do mar que ali batia antes do Aterro da Beira Mar. Apenas em 1931 foi inaugurada a segunda Ala. Assim, o Mercado já tomava a forma que vemos atualmente, com seu pátio interno sobre a rua Francisco Tolentino. Em 2005, o Mercado sofre um incêndio devastador, mas é imediatamente reformado e segue ativo até os dias de hoje com a mesma função.

Mercado Público Antes do Aterro da Baía Sul
[florianopolisantiga.wordpress.com]

Pátio Interno do Mercado Atualmente
[tudosobrefloripa.com.br]

Pátio Interno do Mercado Antes do Aterro da Baía Sul
[florianopolisantiga.wordpress.com]

12. alfândega

Após a explosão da primitiva Alfândega, uma nova Alfândega seria instalada. A busca pelo local perfeito levou cerca de três anos, até que em 1875 acharam o sítio ideal, entre as ruas do Livramento (Trajano) e do Ouvidor (Deodoro), ao longo do largo do Príncipe (Conselheiro Mafra). Inaugurada em julho de 1876, só foi devidamente ocupado em 1877 por divergências entre o Governo Imperial, os contratadores e o engenheiro projetista. É a mais importante referência da arquitetura neoclássica na cidade, e segue até hoje muito próxima à sua forma original.

Alfândega à direita e Mercado Público ao fundo.
[horadesantacatarina.clicrbs.com.br]

13. antiga inspetoria de rios e portos

Foi construída em 1897, quando acreditava-se que Florianópolis e seu porto seriam propulsores do desenvolvimento econômico do estado. É considerado um destacado conjunto histórico-arquitetônico de inspiração neoclássica.



[imagemdailha.com.br]

rede continental

1. FORTE SÃO JOÃO DO ESTREITO

Era localizado na cabeceira continental da Ponte Hercílio Luz, onde cruzava fogos com o Forte Santana e protegia o Canal do Estreito. Há muitas contradições a respeito de sua construção, mas estima-se que foi construído entre 1775 e 1776, pois há registros do forte em mapas espanhóis de 1777. Em 1837, é relatado que os edifícios e muralhas do forte estavam inteiramente arruinados, e apenas 13 anos depois foram iniciadas obras de reconstrução.
Devido seu desuso, foi transformado em depósito de pólvora até que foi completamente abandonado na segunda metade do século XIX. Com a construção da Ponte, as estruturas remanescentes, já arruinadas e abandonadas, terminam de ser demolidas e soterradas.

Ruínas do Forte São João
[fortalezas.org]

4. SAMBAQUI FLÚVIO ADUCCI

Sítio arqueológico localizado na Rua Fúlvio Aducci, contém vestígios dos primeiros povos que habitaram a América. Em 2003, após a localização de vestígios, o sítio foi foi registrado no Cadastro Nacional de Sítios Arqueológicos (CNSA). Hoje, por se situar em um terreno valorizado no mercado imobiliário, corre risco de deterioração. Em 2015, possíveis compradores de um dos terrenos onde o sítio é localizado realizaram testes de solo com retroescavadeiras e injeção de argila no solo, preocupando os moradores da região que prezam pela preservação do sítio. Cenário de protestos contra compradores, o sítio hoje se mantém em terreno privado, aparentando ser um terreno baldio.



Vestígios dos primeiros povos que habitaram a América.
[ndonline.com.br]

5. antiga hospedaria dos imigrantes

A Hospedaria do Saco do Padre Inácio foi criada em 1890, sendo a primeira edificação inaugurada pelo poder público no republicano em Florianópolis. Seu papel era receber imigrantes recém-chegados ao Brasil, acomodando cerca de 250 pessoas, que depois iriam trabalhar na agricultura local. Abrigou diversos órgãos e instituições públicas com o passar dos anos, como a Escolas Reunidas Almirante Carvalhal, que tinha como principal finalidade a alfabetização de trabalhadores do Estaleiro Naval, da Marinha e seus filhos. Reformado em 1984, passou a abrigar a Secretaria de Turismo de Florianópolis, e atualmente é conhecido como Portal Turístico e abriga a Guarda Municipal de Florianópolis.




[mapio.net]

[mapio.net]